Casos de dengue no Paraná tiveram queda de 98%

Por Redação 02/08/2017 - 07:34 hs
Foto: Divulgação SESA

Os casos de dengue no Paraná tiveram queda de 98% no ano epidemiológico encerrado em julho de 2017. De acordo com a Sesa, a Secretaria de Estado da Saúde, no período entre agosto de 2016 e julho deste ano, foram 870 registros e nenhuma morte contra 56.351 casos e 63 óbitos no intervalo compreendido entre agosto de 2015 e julho do ano passado. A chefe do Centro estadual de Vigilância Ambiental, Ivana Belmont, explica que os resultados demonstram que as estratégias de combate à doença adotadas em todo o Paraná foram efetivas. Mesmo assim, segundo ela, é preciso que a população continue em alerta, já que uma das características da enfermidade é justamente a de ser cíclica.

Os casos de zika também diminuíram e o percentual da redução é semelhante à da dengue na comparação entre os dois períodos. O Paraná teve apenas seis registros agora contra 263 anteriormente. Já a chikungunya aumentou de 56 confirmações para 73 – uma diferença de 17 ocorrências, ou 30%. As três doenças são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Outra doença disseminada pelo mosquito é a febre amarela, cujo surto, que começou em dezembro do ano passado, é o maior das últimas décadas no Brasil. O boletim mais recente do Ministério da Saúde, datado do mês de maio, relata mais de 3.200 casos suspeitos, dentre os quais 792 foram confirmados – nenhum deles, felizmente, no sul do país. Para evitar novas epidemias de dengue no Paraná, a recomendação é de reservar ao menos um dia na semana para fazer uma limpeza em casa e no ambiente de trabalho. Isso porque o mosquito precisa de um período muito pequeno – três a sete dias – para se desenvolver do ovo até a forma adulta.