Tremores de terra são registrados na Região Metropolitana de Curitiba

Por Redação 18/09/2017 - 20:53 hs
Foto: Divulgação / Sismo/USP

O Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo revisou os dados sobre um terremoto no Paraná e constatou apenas um epicentro no Estado. Tremores de terra, considerados fortes pelos especialistas, foram registrados na madrugada desta segunda-feira (18) em pelo menos três cidades da Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

Também há relatos de moradores da região Norte do Paraná sobre a ocorrência do fenômeno em outros pontos no Estado. O registro oficial, porém, foi feito na cidade de Itaperuçu, na Grande Curitiba, que teve a ocorrência de tremores de magnitude de 3 e meio a 4 graus na escala Richter. Moradores de cidades vizinhas, como Almirante Tamandaré e Rio Branco do Sul, a 30 quilômetros de Curitiba, também relataram tremores.

Todos os registros acontecerem entre meia noite e meia noite e meia desta segunda-feira. O caso em Itaperuçu, epicentro do único terremoto registrado, foi considerado um “tremor notório” pelo Centro de Sismologia, ou seja, pôde ser sentido, mas não causou danos. Nenhum atendimento foi registrado pelo Corpo de Bombeiros. A Defesa Civil também não foi acionada.

Em uma medição automática do sistema da USP, o primeiro registro de tremor chegou a marcar 4.5 graus de magnitude e 51 quilômetros de profundidade. De acordo como professor Marcelo Bianchi, do Centro de Sismologia da USP, após uma revisão dos técnicos do Centro, no início da manhã, o registro caiu para 3.5 a 4.0 graus.

Arion, que mora em Rio Branco do Sul. Ele afirma que o primeiro abalo foi o maior e depois, outros menores aconteceram em sequência.

Jair mora no bairro Abranches, na região norte de Curitiba e relata que também sentiu os tremores. Ele conta que estava assistindo televisão enquanto o fenômeno aconteceu, mas que não chegou a se assustar com a situação.

O segundo tremor, inicialmente registrado pouco tempo depois em São Jerônimo da Serra, a 337 quilômetros de Curitiba, chegou a 5.1 graus de magnitude, com 10 quilômetros de profundidade, foi descartado após a revisão dos dados pelos técnicos da USP.

O site do Centro de Sismologia da USP tem um espaço aberto, chamado “Sentiu aí?” para que as pessoas relatem suas experiências. O link permite que os moradores de regiões afetadas ajudem os técnicos no monitoramento. Centenas de relatos foram registrados nesta segunda-feira (18) incluindo um em Castro, no Centro Sul do Paraná.