01/12/2023 (43) 9.8807-0421

Segurança PĂșblica

CICATRIBEM

Gaeco, Gepatria e PM promovem nova etapa da Operação Força e Honra

Por Mauricio Santos 01/09/2022 às 17:06:28

No Noroeste do estado, o Ministério Público do ParanĂĄ, em conjunto com a Polícia Militar, com apoio da Receita Estadual, deflagrou nesta quinta-feira, 1Âș de setembro, uma nova etapa da Operação Força e Honra. Iniciada no ano passado, a investigação trata de crimes diversos, como corrupção e desvio de bens apreendidos por um empresĂĄrio e policiais rodoviĂĄrios estaduais. Foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva, cinco mandados de suspensão do exercício da função de policiais rodoviĂĄrios e 18 mandados de busca e apreensão nas cidades de Altônia, Guaíra, Iporã, Marechal CĂąndido Rondon, Palotina e Umuarama.

As ordens de busca foram executadas em 11 residĂȘncias (seis em Umuarama, duas em Guaíra e trĂȘs em Iporã), duas empresas em Umuarama e cinco repartições policiais relacionadas às atividades ou lotações dos investigados (Umuarama, IporĂą, Altonia, Palotina e Marechal CĂąndido Rondon). As prisões preventivas foram cumpridas contra um empresĂĄrio e um policial rodoviĂĄrio – os dois jĂĄ haviam sido indiciados na primeira etapa da operação, mas seguiram com o esquema de propina. Foram apreendidos celulares, computadores e outros equipamentos eletrônicos, além de documentos e dinheiro.

ConsequĂȘncia – Os mandados foram expedidos pelo Juízo da Vara da Auditoria Militar de Umuarama e a prisão preventiva do empresĂĄrio, pelo Juízo da 1ÂȘ Vara Criminal de Umuarama. As investigações da Operação Força e Honra são conduzidas no MPPR pelo Núcleo de Cascavel do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e pelo Núcleo de Umuarama do Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria).

A ação promovida nesta quinta-feira decorre da anĂĄlise de apreensões da primeira fase da investigação, deflagrada em julho do ano passado, quando foram encontrados indícios de atuação de policiais rodoviĂĄrios do Posto de Polícia de Iporã no recebimento sistemĂĄtico de propinas pagas por empresĂĄrio do ramo de pneus para a passagem de veículos com mercadorias provenientes do Paraguai. As investigações revelam possível lavagem de dinheiro proveniente de corrupção, inclusive com a simulação de compra e venda de uma residĂȘncia.

Comunicar erro
ComentĂĄrios