magalu
uol

Criptocorretora Poloniex alerta usuários após suposto arquivo de senhas vazar no Twitter

Empresa alega que maioria dos dados é falsa e que dados não foram roubados de seus sistemas. Criptocorretora Poloniex foi comprada em 2018 pela criptofinanceira Circle [...]

Por Redação em 03/01/2020 às 09:56:11

Empresa alega que maioria dos dados é falsa e que dados não foram roubados de seus sistemas. Criptocorretora Poloniex foi comprada em 2018 pela criptofinanceira Circle e voltou a ser independente em outubro de 2019, abandonando as regras de investimento dos Estados Unidos.

Divulgação

A plataforma de compra e venda de criptomoedas Poloniex enviou um e-mail a alguns de seus usuários para comunicar uma troca de senha obrigatória.

A empresa identificou uma lista de e-mails e senhas que supostamente dariam acesso a contas na plataforma, onde invasores poderiam roubar moedas e investimentos dos usuários.

O caso atingiu cerca de 1% dos usuários da plataforma e apenas 5% dos endereços de e-mail no vazamento correspondiam a usuários do site, segundo a Poloniex.

Por outro lado, quase todos os dados no arquivo – 90% dos registros – já estavam contabilizados no site "HaveIBeenPwned", que registra vazamentos.

Na prática, isso significa que o pacote pode ser uma "compilação" de informações vazadas de outros serviços. Como alguns usuários usam a mesma senha em mais de um serviço, no entanto, a companhia decidiu obrigar a troca de senhas para os e-mails válidos que constavam no vazamento.

Quem é a Poloniex

A Poloniex já foi uma das corretoras de compra e venda de criptomoedas mais importantes do setor. Em fevereiro de 2018, um mês após o auge do Bitcoin, a empresa foi adquirida pela criptofinanceira Circle por uma quantia que pode ter chegado a US$ 400 milhões (cerca de R$ 1,6 bilhão), de acordo com a "Fortune".

A plataforma cresceu graças à facilidade de negociação com moedas alternativas e mais flexíveis que o Bitcoin, mas, na data da aquisição, acumulava reclamações de clientes.

Na Circle, o foco da Poloniex seria o mercado norte-americano, onde operações com criptomoedas são mais regulamentadas. Desde então, o site tenta recuperar o volume de transações.

Em outubro de 2019, a Circle anunciou que a Poloniex passaria a operar de forma independente para ter mais liberdade para enfrentar a concorrência internacional.

A mudança expulsou os investidores norte-americanos da plataforma, já que companhia abandonou a ideia de atender às exigências dos reguladores dos Estados Unidos para focar no mercado global.

Google derrubou extensão que roubava carteiras

O arquivo de senhas da Poloniex não foi o único ataque contra usuários de criptomoedas nas últimas semanas. O Google retirou do ar a extensão uma extensão do navegador Chrome que estaria roubando as senhas e carteiras dos usuários.

Chamada de "Shitcoin Wallet", a extensão alcançou pouco mais de 600 instalações até o especialista Harry Denley identificar a presença do código malicioso. Posteriormente, a extensão foi removida da loja oficial de extensões do Chrome.

A extensão oferecia aos usuários a possibilidade de gerenciar tokens do tipo ERC20 e criptomoedas Ethereum. O ERC20 é um padrão técnico que permite facilita a criação de novas moedas, mas, como muitas dessas moedas "genéricas" jamais chegam a ser relevantes, elas têm baixa reputação e apelidos pejorativos, como "shitcoin".

Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para [email protected]

Ilustração: G1

Fonte: G1

Tags:   G1
magalu 2

Comentários

magalu 3