magazine luiza 1 728 x 90
LIFT DETOX
CICATRIBEM

Advogado com atuação em crimes de repercussão nacional e mais 13 pessoas são condenados à prisão por desvio de indenização de pescadores no Paraná

Claudio Dalledone foi condenado a mais de 11 anos de prisão. Ele afirma ser inocente e diz vai recorrer da decisão. No total, 19 pessoas estavam sendo julgadas. Cinco foram absolvidas ou tiveram os crimes prescritos - como um ex-juiz, por exemplo.

Por Mauricio Santos em 06/07/2024 às 12:56:06
Advogado Claudio Dalledone Júnior - Foto: Divulgação

Advogado Claudio Dalledone Júnior �- Foto: Divulgação

O advogado Claudio Dalledone Junior, conhecido por atuar em casos de grande repercussão - como do Dr. Jairinho, goleiro Bruno, delegado Erick Busetti, Tatiane Spitzner, entre outros - está entre os 14 condenados pelo desvio de indenizações pagas a pescadores prejudicados por dois acidentes ambientais ocorridos em 2001 no litoral do Paraná.

Dalledone foi condenado a mais de 11 anos de prisão em regime fechado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O advogado pode recorrer em liberdade, mas terá que usar tornozeleira eletrônica.

A sentença foi publicada na sexta-feira (5) pela 1ª Vara Criminal de Paranaguá.

No total, 19 pessoas estavam sendo julgadas. Cinco foram absolvidas ou tiveram os crimes prescritos - como um ex-juiz, por exemplo.

Segundo a sentença, os condenados eram, na época:

  • 5 advogados;
  • 2 contadores;
  • 2 funcionários da Justiça (atualmente, um é advogado);
  • 2 estudantes de Direito (atualmente, um é advogado);
  • 1 funcionário de advocacia;
  • 1 ex-cartorário;
  • 1 engenheiro ambiental.

Em nota, Dalledone disse que apenas atuou como advogado de um dos envolvidos e vai recorrer da sentença.

"O advogado Claudio Dalledone Júnior manifesta total surpresa com o fato de estar incluído no rol da referida decisão já que ele não tem, absolutamente, qualquer relação com os fatos investigados", afirma.

Investigação


As denúncias contra os condenados foram feitas em 2014, a partir da Operação Tarrafa, que apurou os crimes praticados.

As investigações, conduzidas pelas Promotorias de Justiça de Paranaguá, incluíram diversos mandados de prisão e de busca e apreensão cumpridos pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

"As indenizações devidas aos pescadores tiveram origem em dois acidentes ocorridos em 2001: o vazamento de óleo do Poliduto Olapa, em fevereiro, e de nafta, componente químico derramado pelo navio Norma, em outubro. Os incidentes obrigaram os pescadores a deixar de trabalhar por longos períodos, o que levou a Justiça a determinar o pagamento de indenizações aos prejudicados", explica o Ministério Público (MP).






Fonte: g1 PR, Veja Paraná

Comunicar erro
LIFT DETOX 2 798 x90

Comentários

anuncie aqui