magalu
uol
webhotel

Bolsonaro diz que Brasil pode sair da OMS

O presidente Jair Bolsonaro fez críticas ao trabalho da Organiza√ß√£o Mundial da Saúde (OMS) na pandemia e disse que o governo pode deixar a organiza√ß√£o, que [...]

Por Redação em 06/06/2020 às 09:51:45

O presidente Jair Bolsonaro fez cr√≠ticas ao trabalho da Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde (OMS) na pandemia e disse que o governo pode deixar a organiza√ß√£o, que atuaria, segundo ele, "com viés ideológico". No fim de maio, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a sa√≠da do pa√≠s da OMS, congelando repasses que o governo norte-americano faria à entidade.

"E adianto aqui, os Estados Unidos sa√≠ram da OMS, e a gente estuda, no futuro, ou a OMS trabalha sem viés ideológico, ou vamos estar fora também. N√£o precisamos de ninguém de l√° de fora para dar palpite na sa√ļde aqui dentro", disse Bolsonaro a jornalistas na portaria do Pal√°cio da Alvorada, na noite desta sexta-feira (5).

O presidente fez refer√™ncia à controvérsia causada pelas pesquisas que a OMS conduzia sobre a hidroxicloroquina no tratamento do novo coronav√≠rus. "Para que serve essa OMS? A OMS recomendou h√° poucos dias n√£o prosseguir mais com os estudos sobre a hidroxicloroquina, e agora voltou atr√°s. É só tirar a grana deles que eles come√ßam pensar de maneira diferente", disse Bolsonaro.

A OMS retomou esta semana os estudos com o medicamento, após aplicar uma suspens√£o dos testes por 10 dias, depois da revis√£o de um estudo publicado pela revista médico-cient√≠fica The Lancet.

A Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde é uma ag√™ncia internacional especializada em sa√ļde, fundada em 7 de abril de 1948 e subordinada à Organiza√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas (ONU). Sua sede é em Genebra, na Su√≠√ßa. A OMS é composta por 194 Estados-Membros e dois membros associados. No caso do Brasil, para aderir à organiza√ß√£o, o pa√≠s ratificou internamente um tratado internacional de cria√ß√£o da ag√™ncia. Uma eventual sa√≠da desse tratado teria que passar pelo Congresso Nacional.

Divulgação de balanço

Durante a entrevista, o presidente Jair Bolsonaro também comentou a mudan√ßa de hor√°rio na divulga√ß√£o do balan√ßo das infec√ß√Ķes e mortes por covid-19, atualizado diariamente pelo Ministério da Sa√ļde. Desde a √ļltima quarta-feira (3), a pasta só envia os dados consolidados do dia por volta das 22h. Antes, esse balan√ßo era enviado por volta das 19h.

"É para pegar os resultados mais consolidados e tem que divulgar os mortos do dia. Ontem, os mortos eram de dias anteriores. Se quiser, faz um consolidado para tr√°s, mas tem que mostrar os mortos do dia", disse Bolsonaro, sobre a metodologia de divulga√ß√£o adotada pelo Ministério da Sa√ļde.

Em comunicado à imprensa, o ministério informou que os n√ļmeros de casos de covid-19 e de mortes causadas pela doen√ßa s√£o repassados à pasta pelas secretarias estaduais e municipais de Sa√ļde. O ministério acrescenta que analisa e consolida os dados e que em alguns casos "h√° necessidade de checagem junto aos gestores locais". "Desta forma, o Ministério da Sa√ļde tem buscado ajustar a divulga√ß√£o dos dados, que s√£o publicados diariamente na plataforma covid.saude.gov.br", destaca o texto.

Fonte: Agência Brasil

magalu 2

Coment√°rios

magalu 3