Rea√ß√£o a v√≠deo com refer√™ncia nazista mostra apego 'à democracia e às liberdades individuais', diz ministro Heleno

Ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Seguran√ßa Institucional (GSI) da Presidência da República, publicou neste s√°bado(18) declara√ß√£o sobre o episódio

Por Redação em 18/01/2020 às 14:21:53


Ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Seguran√ßa Institucional (GSI) da Presidência da República, publicou neste s√°bado(18) declara√ß√£o sobre o episódio do vídeo do ex-secret√°rio de Cultura, Roberto Alvim. O ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Seguran√ßa Institucional (GSI) da Presidência da República, se manifestou em suas redes sociais, neste s√°bado (18), sobre a demiss√£o do agora ex- secret√°rio de Cultura, Roberto Alvim. O ministro disse que foi "fant√°stica, e até emocionante" a rea√ß√£o "da na√ß√£o como um todo ao infeliz resgate de pensamentos nazista". Veja o texto publicado pelo general:

"Fant√°stica, e até emocionante, a rea√ß√£o de intelectuais, artistas, historiadores, professores, estudantes, militares e da na√ß√£o como um todo, ao infeliz resgate de pensamentos nazistas.Mostra uma face da convic√ß√£o e do apego de nosso povo à democracia e às liberdades individuais", publicou o ministro.

Na última quinta-feira (16), Roberto Alvim fez um discurso semelhante ao do ministro da Propaganda de Adolf Hitler na Alemanha Nazista, Joseph Goebbels, antissemita radical e um dos idealizadores do nazismo. Após v√°rias manifesta√ß√Ķes de repúdio e críticas feitas ao conteúdo do vídeo, o presidente Jair Bolsonaro anunciou a exonera√ß√£o do secret√°rio.

VEJA TAMBÉM: Goebbels criou base ideológica do nazismo, explica professor

Veja outras rea√ß√Ķes ao vídeo de Alvim:

Davi Alcolumbre, presidente do Senado, afirmou, na última sexta-feira (16): "Descabido e infeliz pronunciamento de assombrosa inspira√ß√£o nazista do secret√°rio de Cultura, Roberto Alvim. Como primeiro presidente judeu do Congresso nacional, manifesto veementemente meu total repúdio a essa atitude e pe√ßo seu afastamento imediato do cargo. É totalmente inadmissível, nos tempos atuais, termos representantes com esse tipo de pensamento. E, pior ainda, que se valha do cargo que eventualmente ocupa para explicitar simpatia pela ideologia nazista".

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), disse: "H√° de se repudiar com toda a veemência a inaceit√°vel agress√£o que representa a postagem feita pelo secret√°rio de Cultura. É uma ofensa ao povo brasileiro, em especial à comunidade judaica".

Augusto Aras, procurador-geral da República (PGR), declarou: "A única ideologia política admissível no Brasil é a democracia participativa, que tem como princípio fundante a liberdade de express√£o. Ideias nazifascistas s√£o totalit√°rias e destroem a democracia, daí porque, nesta excepcionalidade, a liberdade de express√£o pode ser relativizada".

A embaixada da Alemanha no Brasil afirmou: "O período do nacional-socialismo é o capítulo mais sombrio da história alem√£, trouxe sofrimento infinito à humanidade. A Alemanha mantém a sua responsabilidade. Opomo-nos a qualquer tentativa de banalizar ou mesmo glorificar a era do nacional-socialismo".

A Confedera√ß√£o Israelita do Brasil disse: "O Brasil, que enviou bravos soldados para combater o nazismo em solo europeu, n√£o merece isso. Uma pessoa com esse pensamento n√£o pode comandar a cultura do nosso país e deve ser afastada do cargo imediatamente".

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) disse que Alvim fez "referências claras a uma pessoa que promoveu o genocídio, a divis√£o racial" e que "a cultura brasileira n√£o pode conviver com quem tem pensamento vinculado ao passado sombrio da história da humanidade".

Rea√ß√Ķes dos artistas

Zélia Duncan, cantora

"Definitivamente o fracasso subiu à cabe√ßa do patético encarregado da falta de Cultura, Roberto Alvim...ator canastr√£o, diretor fracassado, encontrou nesse governo desafinado e brega, seu fr√°gil êxtase nazista-fetichista. Faltou o bigode, pro f√£ do crime aparentar melhor com o ídolo".

"A trilha utilizada pelo nazi brasuca é Wagner. Artista utilizado por Hitler, para exaltar a ra√ßa ariana, os brancos 'puros'. Wagner era antissemita, n√£o gostava de judeus. O circo de Alvim é lament√°vel e criminoso, se fôssemos um país direito, ele seria preso."

Initial plugin text

Luciano Huck, apresentador

"Sou brasileiro de família judia. 6 milh√Ķes de judeus morreram por causa do nazismo. O holocausto é um fato histórico. Usar a Cultura p/ fazer revisionismo histórico é perverso e violento. O vídeo do secret√°rio Roberto Alvim é criminoso. Revela uma conduta autorit√°ria inaceit√°vel"

Initial plugin text

Alexandro Nero, ator

"Bom, Alvim caiu. Tinha que cair, mas n√£o adianta comemorar. Só caiu pq foi flagrado. Deu MUITO na cara. Esse governo pensa exatamente como ele. Todo mundo j√° sacou. Entrar√° outro no lugar com o mesmo pensamento de aniquilar as diferen√ßas. Esse é o projeto de cultura desse governo".

Initial plugin text

Emicida, cantor

O Cantor Emicida divulgou uma tirinha da cartunista Laerte.

Initial plugin text

AJosé de Abreu, ator

"Um doente, precisa de psiquiatra".

Gregório Duvivier, ator e humorista

"Frase nazista atitude nazista e música nazista levam internautas a pensar que Roberto Alvim é nazista".

Mika Lins, atriz e diretora teatral

"O secret√°rio parafraseou Goebbels. Interpretou o personagem no pronunciamento com Wagner de trilha sonora e tudo. N√£o achem que n√£o h√° um objetivo nisso. Só n√£o vai dar pra dizer depois que esse governo passar que isso era um "experimento teatral". Que esteve ali infiltrado."

Rea√ß√Ķes da imprensa internacional

Revista alem√£ 'Der Spiegel' repercutiu o vídeo de Alvim

Reprodução/Der Spiegel

A revista alem√£ "Der Spiegel" repercutiu a fala de Alvim com informa√ß√Ķes das agências de notícias Reuters e DPA, citando a compara√ß√£o feita em v√°rios veículos brasileiros, entre a fala do secret√°rio e a de Goebbels.

Estados Unidos

Reprodução da página do "The New York Times" com reportagem sobre Roberto Alvim

Reprodução

A p√°gina do jornal "The New York Times" publicou reportagem com o título: "Autoridade m√°xima da cultura no Brasil é demitida por discurso que evoca propaganda nazista".

O texto ainda menciona que, no fundo da grava√ß√£o, tocava uma ópera que o jornal afirma "ser a que Adolf Hitler considerava a favorita". A música em quest√£o é a ópera Lohengrin, do compositor alem√£o Richard Wagner (1813-1883).

Imagem de texto do "Washington Post" sobre Roberto Alvim

Reprodução

O site do "Washington Post" também repercutiu o caso: "Secret√°rio de Cultura do Brasil demitido após aparentemente parafrasear propaganda nazista em discurso". O texto menciona que Alvim pretendia divulgar "uma nova iniciativa cultural".

Israel

P√°gina do Haaretz, de Israel, sobre discurso de Roberto Alvim

Reprodução

O site israelense Haaretz, por meio de uma reportagem da agência de notícia Reuters, repercutiu a declara√ß√£o de Alvim: "Brasil demite secret√°rio de Cultura após vídeo ecoar Goebbels".

Reino Unido

Imagem da p√°gina do Guardian com reportagem sobre Roberto Alvim

Reprodução

A reportagem do jornal brit√Ęnico "The Guardian" diz que o secret√°rio foi "retirado do cargo após parafrasear o nazista Goebbels". "Roberto Alvim gerou uma onda de indigna√ß√£o com coment√°rios sobre a cultura que foram assustadoramente remanescentes do chefe de propaganda de Hitler".

Publicação da BBC sobre Roberto Alvim

Reprodução

Além do "Guardian", o site da emissora pública BBC repercutiu a "indigna√ß√£o" gerada após "ecoar Goebbels". O texto cita a defesa do ent√£o secret√°rio, que disse que o discurso foi uma "coincidência retórica".

França

France TV publicou reportagem sobre discurso de Roberto Alvim

Reprodução

O site da emissora pública francesa France Télévisions publicou reportagem sobre a demiss√£o de Alvim pelo "discurso inspirado em Joseph Goebbels". "As referências s√£o flagrantes e preocupantes", diz o texto, que ainda relembra que o discurso gerou repercuss√£o no Twitter ainda na noite de quinta-feira.

Argentina

Clarín, da Argentina, noticiou o discurso de Roberto Alvim e sua demiss√£o

Reprodução

"Jair Bolsonaro demite seu secret√°rio de Cultura por um copiar um discurso de Goebbels", diz o título da reportagem publicada no site do jornal argentino "Clarín".

Discurso de Alvim

A queda de Roberto Alvim na Cultura

Vídeo de Roberto Alvim provoca rea√ß√Ķes em Brasília, no Judici√°rio e na sociedade

Fonte: G1

Tags:   G1

Coment√°rios