Trabalho sobre holocausto leva professora de Paraty a Israel

A professora Elisabeth de Oliveira Nunes e alunos do ensino médio Divulga√ß√£o/Agência BrasilFalando à Agência Brasil, Elisabeth informou ter [...]

Por Redação em 19/01/2020 às 23:12:44

A professora Elisabeth de Oliveira Nunes e alunos do ensino médio Divulga√ß√£o/Agência Brasil

Falando à Agência Brasil, Elisabeth informou ter participado, em agosto do ano passado, da 14¬™ Jornada Interdisciplinar Holocausto e Direitos Humanos, no Rio, quando soube da possibilidade de participar do semin√°rio em Israel.

"Como a minha linha de pesquisa e a minha monografia foram sobre crist√£os novos, judaísmo e holocausto, eu resolvi me inscrever", disse ela, que apresentou tese e foi selecionada.

Elisabeth dever√° apresentar no semin√°rio trabalho alusivo ao holocausto que debateu em sala de aula com as turmas 1002 e 1006 da Escola Estadual Almirante Alvaro Alberto, localizada em Paraty, no estado do Rio de Janeiro, abordando o holocausto e o genocídio cigano.

O trabalho com os estudantes resultou, no encerramento, numa visita ao Museu Judaico, no centro do Rio. "O trabalho foi muito bom para a gente quebrar também a quest√£o do preconceito e trabalhar a quest√£o da xenofobia", afirmou ela. As tem√°ticas foram abordadas na disciplina de Sociologia com os alunos do primeiro ano do ensino médio.

Projeto

Professora de História e Sociologia, formada pelo Centro Universit√°rio Moacyr Sreder Bastos, em Campo Grande, zona oeste do Rio, Elisabeth participou, em 2019, do projeto "Para Nunca Esquecer: Pela valoriza√ß√£o da vida, em memória do holocausto", desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educa√ß√£o (Seeduc).

Ela inscreveu no projeto 26 reda√ß√Ķes feitas por alunos. Embora nenhum dos textos tenha sido incluído entre os melhores, a professora avaliou que a experiência foi positiva para que os estudantes pudessem ter um primeiro contato com esse triste acontecimento da história mundial, que foi o holocausto, "e a quest√£o da conscientiza√ß√£o. Sou apaixonada por essa tem√°tica", disse Elisabeth, que est√° habilitada pela Secretaria de Educa√ß√£o para lecionar Sociologia e Filosofia.

A professora pretende publicar o trabalho sobre esse tema. Ela ficar√° em Israel até o encerramento do semin√°rio e sua chegada ao Brasil est√° prevista para o próximo dia 31. O secret√°rio de estado de Educa√ß√£o, Pedro Fernandes, comentou a import√Ęncia das a√ß√Ķes envolvidas no projeto "Para Nunca Esquecer", que incluiu apresenta√ß√£o de semin√°rios, palestras e outras atividades.

"A iniciativa possibilitou que os estudantes elaborassem atividades e a√ß√Ķes criativas, associando a tem√°tica do holocausto a quest√Ķes contempor√Ęneas, como o combate ao racismo e à segrega√ß√£o, o respeito à diversidade, a defesa da dignidade humana e dos direitos humanos, entre outros temas. Essas a√ß√Ķes permitiram que os jovens refletissem esses temas em seu dia a dia", disse o secret√°rio.

Fonte: Agência Brasil

Coment√°rios