magalu
uol
webhotel

Operação da PM e PF prende grupo envolvido em roubos a bancos

Por Redação em 07/01/2021 às 16:43:59

Nove pessoas foram presas durante a opera√ß√£o Resposta, uma a√ß√£o conjunta entre a Polícia Militar e a Polícia Federal contra um grupo criminoso que praticava roubos a banco e de cargas no Paran√°. Foram apreendidos dois fuzis, pistolas e revólver, além de colete balístico. Em uma das a√ß√Ķes do grupo, um soldado da PM acabou morto ao tentar impedir um roubo em fevereiro do ano passado.

O balan√ßo do trabalho conjunto das polícias foi divulgado nesta quinta-feira (07/01), no Quartel do Comando-Geral da PM, em Curitiba. "Iniciamos uma opera√ß√£o conjunta entre a PM e a PF, tanto na √°rea investigativa quanto na √°rea operacional, e também na √°rea de cumprimento de mandados", explicou o subcomandante-geral da PM, coronel Hudson Leôncio Teixeira.

"Foram v√°rios meses de acompanhamento de alvos, equipes da Intelig√™ncia trabalhando de forma integrada com a PF, e nesta quarta-feira logramos √™xito na pris√£o de um dos indivíduos na RMC, talvez o mais importante da fac√ß√£o. Com ele foi apreendido fuzil, colete, armamento, e droga, oriundos desses crimes que eles v√™m cometendo h√° v√°rios anos, tanto no Paran√° como em outros estados", afirmou.

O modo de atua√ß√£o e a viol√™ncia praticada pelo grupo durante os crimes fez com que as polícias Militar e Federal iniciassem trabalho conjunto para encontrar os autores. Os principais articuladores do grupo foram localizados pelas equipes policiais.

Dois deles foram presos após o roubo a banco de Floraí (Noroeste do Paran√°), em dezembro do ano passado.

Um foi preso na tentativa de fuga e o segundo acabou localizado nesta quarta-feira). Um terceiro homem, que teria se ferido ao confrontar a PM nesta ocorrência, ainda não foi encontrado. Os demais detidos foram localizados durante cumprimento de mandados judiciais expedidos ao longo da investigação.

Segundo o delegado da Polícia Federal, Peterson Manys, gra√ßas ao trabalho integrado foi possível desarticular a quadrilha. "Essa uni√£o só fortalece e a partir do momento em que as for√ßas policiais, independente da institui√ß√£o, trabalham juntas os resultados s√£o extraordin√°rios e de pronta resposta para a comunidade", afirmou. Ele ainda acrescentou que um dos presos j√° tinha passagens por roubo. "O suspeito que foi preso em Ponta Grossa j√° tinha sido preso no Piauí. Eles atuam em v√°rios estados", disse.

PRIMEIRA A√á√ÉO - A primeira a√ß√£o do grupo, que marcou o início das investiga√ß√Ķes, ocorreu em Tel√™maco Borba, em fevereiro de 2020. Um banco foi alvo de roubo e uma equipe do 26¬į Batalh√£o de Polícia Militar tentou barrar a fuga dos suspeitos, que confrontaram os policiais e mataram o soldado Welington Rafael Moreira.

Outros crimes executados pelo grupo ao longo dos meses evidenciou a organiza√ß√£o que os suspeitos possuíam. Segundo as informa√ß√Ķes apuradas pelas equipes policiais durante a investiga√ß√£o, descobriu-se que eles cometiam os crimes com atua√ß√£o com outros grupos criminosos, sempre com foco em roubos contra o patrimônio.

Depois do roubo a banco em Telêmaco Borba, os envolvidos roubaram uma van na Região Metropolitana de Curitiba. Nesta ação, o motorista do carro ficou sob a mira de uma arma de fogo enquanto os demais integrantes da quadrilha retiravam os bens. Posteriormente, um homem foi preso por envolvimento neste roubo.

Em dezembro, em um segundo roubo a banco na cidade de Floraí, houve a interven√ß√£o dos policiais militares da regi√£o de Ponta Grossa após os marginais atacarem uma viatura da Polícia Rodovi√°ria Federal, fato que deixou uma policial militar ferida ao tentar deter o grupo.

Um dos envolvidos foi encontrado pela PM em Colombo, e informa√ß√Ķes repassadas à PM apontam que outro homem que estava nesta ocorr√™ncia acabou ferido após confrontar os policiais militares e, pode estar em óbito, numa regi√£o de mata, segundo informa√ß√Ķes recebidas pela PM.

Comunicar erro
magalu 2

Coment√°rios

magalu 3