magalu
uol
webhotel

Segurança desativa cadeia pública de Peabiru e implanta unidade feminina em Mamborê

Ao todo, 110 presos e 10 presas foram movimentados. Mudança faz parte de um projeto que prevê a desativação de 41 carceragens de delegacias e o fechamento definitivo em 15 municípios. Objetivo é a gestão plena do Depen Paraná.

Por Redação em 20/04/2021 às 17:29:50
Cadeia Pública de Peabiru é desativada e cadeia feminina é implantada em Mamborê, no Noroeste do Paraná - Foto: SESP

Cadeia Pública de Peabiru é desativada e cadeia feminina é implantada em Mamborê, no Noroeste do Paraná - Foto: SESP

O Departamento Penitenciário concluiu nesta terça-feira (20) a transferência de todos os presos e presas da Cadeia Pública de Peabiru, no Noroeste do Paraná. Além disso, reclassificou o perfil dos presos da Cadeia Pública de Mamborê, na mesma região. Essa unidade prisional passa a ser destinada exclusivamente a mulheres.

A mudança faz parte de um projeto da Secretaria da Segurança Pública iniciado no final de 2020 e que prevê a desativação de 41 carceragens de delegacias e o fechamento definitivo em 15 municípios de todo o Estado. O objetivo é encaminhar os apenados à gestão plena do Depen Paraná.

De acordo com o secretário Romulo Marinho Soares, a integração das forças de segurança da região para mudanças deste cunho agrega proteção aos moradores locais. "Estas transferências são muito importantes para o desempenho das atividades fim dos policiais civis da região, uma vez que, liberados do cuidado dos presos, podem dedicar-se integralmente aos serviços de investigação e elucidação de crimes", disse.

Ao todo, foram movimentados 110 presos sendo que os que se encontram em situação provisória foram realocados para a Cadeia Pública Campo Mourão I e os condenados para a Campo Mourão II. Dez presas foram encaminhadas à Cadeia Pública de Mamborê.

A ação contou com o emprego de grande aparato de segurança, agentes do Setor de Operações Especiais da Regional de Maringá (SOE), apoio de policiais civis da 16ª Subdivisão Policial de Campo Mourão e policiais militares.

Para o Coordenador Regional do Depen de Maringá e Cruzeiro do Oeste, Luciano Brito, as transferências de carceragens possuem um impacto positivo na ressocialização da população carcerária. "Estas medidas contribuem para uma melhor execução penal, tanto para os presos como para as presas. O Depen pretende elevar os programas de ressocialização para as mulheres presas na região de Campo Mourão com a implantação da unidade feminina na cidade de Mamborê, assim como elevar os níveis de segurança pública".

NOVAS UNIDADES - A medida foi possível com a abertura da nova unidade do Depen em Campo Mourão - a Cadeia Pública de Campo Mourão II, que foi inaugurada em dezembro de 2020, ampliando em 382 vagas o Sistema Penitenciário local. O investimento total na obra foi de R$12,3 milhões. Seguindo o plano da Secretaria da Segurança Pública, em janeiro de 2021, a desativação da Cadeia Pública de Iretama também foi concluída.

INVESTIGATIVO - O Delegado Chefe da 16ª SDP, Nilson Rodrigues da Silva, explica que os integrantes da sede da subdivisão policial de Campo Mourão não mais terão que se preocupar com o trabalho carcerário. "O esvaziamento da Cadeia Pública de Peabiru e a transferência das presas para a Cadeia Pública de Mamborê agrega no trabalho investigativo da polícia civil e oferece os devidos cuidados aos apenados, que agora ficarão nas estruturas do Depen", afirma.

As Cadeias Públicas onde os presos ficarão a partir de agora são de gestão plena do Depen, em relação à população carcerária, incluindo bens móveis e imóveis, despesas e contratos de alimentação. A transferência também resulta, inclusive, na melhora da assistência aos presos e familiares, nas estruturas coordenadas diretamente pelo órgão especializado e próprio que mantém os presos.

PALMEIRA - Nesta segunda-feira (19), também houve a transferência de 38 presos da Delegacia Regional de Polícia Civil de Palmeira às estruturas do Depen em Ponta Grossa, nos Campos Gerais. A ação ocorreu por meio da determinação do secretário da Segurança Pública, dando continuidade ao planejamento estratégico para liberar os policiais civis da custódia de presos.

A operação de transferência contou com o apoio de equipes da Polícia Civil, da Polícia Militar e do Departamento Penitenciário dos Campos Gerais e permitiu que todos os presos condenados fossem encaminhados para a Penitenciária Estadual de Ponta Grossa (PEPG) e os provisórios para a Cadeia Pública Hildebrando de Souza, também na região.

Comunicar erro
magalu 2

Comentários

magalu 3