magalu

Forças de Segurança retomam açÔes conjuntas nos portos do Paranå

OperaçÔes tĂȘm o objetivo de enfraquecer crimes que envolvem as cargas destinadas ao Porto de ParanaguĂĄ. Meta Ă© padronizar as açÔes contra crimes na ĂĄrea portuĂĄria, principalmente as vazadas - em que criminosos abrem as bicas dos caminhĂ”es de grĂŁos para roubar a carga.

Por Redação em 18/06/2021 às 17:03:32
Forças de Segurança retomam ações conjuntas nos portos do Paraná - Paranaguá, 18/06/2021 - Foto: Cláudio Neves/Portos do Paraná

Forças de Segurança retomam ações conjuntas nos portos do Paraná - Paranaguá, 18/06/2021 - Foto: Cláudio Neves/Portos do Paraná

A Portos do ParanĂĄ e as Forças de Segurança que atuam em ParanaguĂĄ retomaram as atividades do Gabinete de GestĂŁo Integrada. O objetivo é padronizar as açÔes e buscar soluçÔes para crimes na ĂĄrea portuĂĄria, principalmente as vazadas – em que os criminosos abrem as bicas dos caminhĂ”es de grĂŁos para roubar a carga.

As primeiras operaçÔes aconteceram nesta quinta e sexta-feira (17), com apreensão de 15 toneladas de produtos e os envolvidos encaminhados para a Delegacia de Paranaguå, segundo balanço ainda não finalizado.

Participam do esforço a Unidade Administrativa de Segurança PortuĂĄria (Uasp), Polícia Federal, Polícia Militar (1ÂȘ Companhia do 9Âș BatalhĂŁo), Rotam, AgĂȘncia Local de InteligĂȘncia, Corpo de Bombeiros, Policiamento Aéreo e Polícia Ambiental, Polícia Civil, Receita Estadual, Prefeitura de ParanaguĂĄ (Guarda Municipal) e a Associação dos Terminais do Corredor de Exportação de ParanaguĂĄ (Atexp).

ESTRATÉGIAS - O grupo farĂĄ reuniĂ”es periódicas de busca de soluçÔes contra o crime organizado. "O objetivo é que essa reuniĂŁo aconteça a cada 40 ou 45 dias. Nelas, vamos traçar algumas estratégias e todos teremos o mesmo objetivo: diminuir a criminalidade na ĂĄrea de influĂȘncia portuĂĄria, discutir soluçÔes para o fluxo de caminhĂ”es nas vias de acesso ao porto e combater o desvio de carga. ", explicou o diretor jurídico Marcus Freitas.

Para o gerente da Uasp, Major Cezar Kamakawa, a somatória dos esforços se traduz naturalmente em resultados positivos e voltados para a sociedade. "A ideia é realizar operaçÔes conjuntas para que se contenha a criminalidade. Nosso foco de atenção se volta para questĂ”es relativas à vazada, receptação dessas cargas ilícitas e identificação dos criminosos", destacou.

O capitĂŁo Ivan Luiz Matsuzava, da PM, ressaltou a importĂąncia da troca de informaçÔes entre as forças de segurança. "Atuamos para evitar esse tipo de atividade criminosa em ParanaguĂĄ e buscar soluçÔes que nĂŁo sejam só paliativas, mas para resolver o problema de forma definitiva", explica.

Segundo Matsuzava, a AgĂȘncia Local de InteligĂȘncia do 9Âș BatalhĂŁo do Litoral da Polícia Militar fez o levantamento de alguns locais, principalmente ligados à receptação do material derramado dos caminhĂ”es. "O objetivo é combater a armazenagem desses produtos furtados", apontou.

Representante da prefeitura, o secretĂĄrio de Segurança, JoĂŁo Carlos Silva, também enfatizou a uniĂŁo de forças. "Essa integração é importantíssima para diminuir os crimes na ĂĄrea portuĂĄria. Vale lembrar que essas vazadas englobam os crimes de furto, roubo, trĂĄfico. A força-tarefa é um somatório de esforços que beneficia nĂŁo só a economia da cidade, como a segurança de toda a população parnanguara".

APREENSÕES - Foram fiscalizados cinco endereços no Bairro Guadalupe e, em um só local, encontradas cerca de 15 toneladas de produtos oriundos da vazada, acondicionados em um galpĂŁo. Os envolvidos foram encaminhados para a Delegacia. O balanço desta sexta-feira, dia 18, ainda nĂŁo foi divulgado.

Comunicar erro
magalu 2

ComentĂĄrios

magalu 3