magalu

A clonagem de celular pode manter um aparelho sem chip com acesso à rede móvel?

Tira-dúvidas também responde pergunta sobre sites falsos de cobranças e riscos de divulgar o número do CPF. Se você tem alguma dúvida sobre [...]

Por Redação em 20/02/2020 às 13:59:02


Tira-dúvidas também responde pergunta sobre sites falsos de cobranças e riscos de divulgar o número do CPF. Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados etc.), envie um e-mail para [email protected] A coluna responde perguntas deixadas por leitores às quintas-feiras.

Smartphones precisam das informações presentes no chip para estabelecer uma conexão com a rede móvel, mas alguns modelos possuem tecnologia de 'chip embutido' e podem ser programados sem um chip em cartão.

Altieres Rohr/G1

Um celular pode ter sinal mesmo sem chip?

O chip do celular foi retirado e mesmo assim continua com sinal. Ele pode ter sido clonado? Como isso pode acontecer? – Cristina

Muito pelo contrário, Cristina. Se o chip tivesse sido clonado, você provavelmente não teria nenhum acesso à rede celular mesmo que o chip estivesse devidamente instalado. Na maioria das vezes, a linha não é "clonada", mas sim transferida para um novo chip. Essa transferência derruba o seu acesso.

Além disso, um smartphone GSM não é capaz de se conectar à rede celular sem todas as informações necessárias. Embora muita gente já tenha ouvido falar no IMEI — que é o número identificador do aparelho —, os verdadeiros responsáveis pela conexão são o número do assinante (IMSI) e a chave de autenticação, que ficam no chip.

Porém, já existem alguns aparelhos no mercado com a tecnologia de eSIM, ou "e-chip". Essa tecnologia coloca um chip embutido e reprogramável "dentro" do celular. Ela é essencial em dispositivos que não possuem nem sequer espaço para um chip comum, como acontece nos relógios de pulso inteligentes (smartwatches).

Em certos modelos de smartphone, a função de "dual chip" pode ser possibilitada por esse eSIM. O aparelho terá um único chip tradicional, mas funciona com duas linhas se o chip interno for ativado. A vantagem é que o espaço para a instalação de dois chips pode ser aproveitado de outras formas (um microSD, mais bateria, ou som melhor, por exemplo).

Pode ser o caso do seu aparelho. Se ele estiver com um eSIM programado, remover o chip físico não vai derrubar ele da rede celular, porque o eSIM manterá a conexão funcionando.

O eSIM funciona da mesma forma que um chip tradicional e precisa de um plano de telefonia móvel. A única diferença é que os dados de conexão não ficam em um cartãozinho removível. Isso também pode ser muito cômodo, já que a tecnologia prevê a possibilidade de reprogramar o chip por aplicativo — o que facilitaria a troca de uma operadora para outra.

O eSIM também evita que criminosos desconectem um celular depois de um roubo, facilitando a rastreamento do aparelho ou a execução de um comando remoto de bloqueio e remoção de dados, inutilizando o dispositivo.

Mais uma coisa importante: se o seu celular perder a conexão com a rede de telefonia, não entre em pânico. Embora você possa realmente ter sido vítima de fraude, o celular também pode perder o acesso à rede móvel por problemas no aparelho, defeito no chip, cancelamento da linha ou equívoco da operadora.

Vale lembrar que certas funções do smartphone não dependem da rede celular. Por meio do Wi-Fi, você poderá continuar usando vários aplicativos depois de remover o chip, incluindo aplicativos atrelados ao número do celular, como o WhatsApp. No entanto, usar esses aplicativos apenas no Wi-Fi pode ser perigoso: se a sua linha for cancelada, você corre o risco de perder a conta.

Site de cobrança clonado

Minha colega me pediu para atualizar um boleto na BV Financeira. Entrei neste site: cobranças[parte do endereço omitida pelo blog]bv.com, onde constavam três números de telefone. Me encaminharam o boleto com os dados da financeira. Quando efetuei o pagamento, saiu para outro beneficiário e sacador. Tentei várias vezes contato com empresa e não obtive sucesso. Gostaria de repassar ests informações para que outras pessoas não caiam neste golpe! – Aline

Aline, é muito comum que golpistas criem esse tipo de página falsa, e as empresas não têm controle direto sobre isso. Se a empresa não souber que o site fraudulento existe, ela não pode tomar nenhuma ação para tentar retirá-lo do ar.

Aliás, mesmo sabendo da fraude, as empresas podem ter dificuldade para retirar um conteúdo falso do ar, especialmente se o endereço estiver fora do Brasil.

Para esclarecer o seu caso, o blog entrou em contato com a BV Financeira, que confirmou que a página é fraudulenta. Veja o que disse a empresa:

"A BV lamenta a existência de golpes de qualquer natureza e informa que Aline foi vítima de uma dessas práticas maldosas, assim como a BV, que teve sua marca envolvida. Com o objetivo de alertar seu público, a BV adota uma série de medidas e procedimentos de segurança. Dentre elas, uma página exclusiva dedicada à segurança. Além disso, se o cliente tiver desconfiança quando receber ligação ou boleto de pagamento e, principalmente, que tenha uma conta de pessoa física como recebedora, não pague e entre nos canais oficiais da BV para confirmar a autenticidade. www.bv.com.br".

A orientação dada pela BV de procurar os canais oficiais de contato serve para as mais diversas situações, inclusive quando uma mensagem é recebida por e-mail.

A melhor maneira de conferir a autenticidade de um recado ou documento é procurando a empresa que supostamente gerou o texto ou e-mail.

Procure sempre uma fonte confiável para obter as informações de contato, preferencialmente no site oficial. Em caso de boletos ou cobranças, um número de telefone para tirar dúvidas pode estar impresso nos boletos anteriores.

Como você já pagou o boleto, o dinheiro deve ter caído diretamente na mão das pessoas erradas. Procure a polícia, leve os comprovantes de pagamento e descreva a situação. Talvez seja difícil de conseguir o dinheiro de volta, mas a sua denúncia pode ajudar a elucidar os crimes e punir os responsáveis.

CPF, clonagem e pedidos por WhatsApp

Coloquei meu CPF em um pedido de cartão enviado pelo WhatsApp. Estou com medo de o chip ser clonado. Como faço para desfazer ou denunciar? – Ligia Souza

Não está muito claro, Ligia, se a sua dúvida é sobre o chip do celular ou o chip de um cartão de crédito. De qualquer forma, o número do CPF não é suficiente para qualquer tipo de clonagem.

É normal que o CPF seja informado em compras, tanto para a cobrança como para a emissão da nota fiscal. Porém, não é muito seguro informar os dados do cartão de crédito por WhatsApp.

Com suas informações pessoais e os dados do cartão (número, vencimento e código de segurança – CVV), é possível fazer outros pedidos no comércio eletrônico.

Se você desconfia que as informações do seu cartão de crédito possam ser usadas forma indevida, você deve entrar em contato com a administradora do cartão. Normalmente, há um número de atendimento gravado no próprio cartão. Lá, você pode descrever a situação e pedir orientações.

Quanto ao seu telefone, apenas fique atenta. Se a sua linha cair (como explicado na primeira pergunta), entre em contato com a operadora e verifique o que ocorreu.

Dúvidas sobre segurança digital? Envie um e-mail para [email protected]

Fonte: G1

Tags:   G1
magalu 2

Comentários

magalu 3