magalu

Em nova rodada, Paraná e São Paulo aproximam parcerias em segurança pública

Trabalho conjunto entre os dois estados foi tema de reunião entre representantes da Secretaria da Segurança Pública e das polícias do Paraná e comitiva da pasta de São Paulo. Os visitantes conheceram boas práticas desenvolvidas nas instituições vinculadas.

Por Redação em 21/07/2021 às 16:17:00
Comitiva da Segurança Pública de São Paulo visita SESP Paraná e reforça parcerias na área. Foto: SESP

Comitiva da Segurança Pública de São Paulo visita SESP Paraná e reforça parcerias na área. Foto: SESP

O reforço nas parcerias na área da segurança pública do Paraná e de São Paulo foi o foco da reunião entre representantes das pastas dos dois estados nesta terça-feira (20). O secretário paranaense, Romulo Marinho Soares, recebeu o coordenador-geral do Centro de Operações Integradas (COI), Carlos Sérgio Câmara Saú, e o coordenador do COI, coronel Omar Tumas.

Além de reunião na sede, eles estiveram nas instituições vinculadas para conhecer boas práticas, trocar experiências e conversar sobre operações estratégicas. É o segundo encontro entre autoridades dos dois estados.

"A presença da comitiva de São Paulo reforça a parceria e o lema de que juntos somos mais fortes. O trabalho na área da segurança pública é feito para a sociedade e é nesse sentido que precisamos transformar boas práticas em ações positivas", disse Marinho.

"Podemos unir esforços, trocar experiências, compartilhar sistemas de informações, dados e experiências que possam facilitar o trabalho das nossas polícias, das forças de segurança, com o objetivo de atender melhor a população", afirmou o coordenador do COI, Câmara Saú.

A primeira atividade ocorreu na sede da Polícia Científica do Paraná, em Curitiba, onde foram recebidos pelo diretor-geral, Luiz Rodrigo Grochocki. Houve apresentação de indicadores de produtividade e desempenho da instituição, entre eles a média do tempo para a conclusão de alguns tipos de pericial, que em 2014 era de 60 dias e caiu para oito dias neste ano.

Eles também conheceram o Museu de Ciências Forenses, o observatório de tanatologia (similar à sala que faz as autópsias do Instituto Médico Legal) e laboratórios. "O Paraná tem iniciativas interessantes que podem ser levadas nessa troca de boas práticas para aprimorar o serviço de Polícia Científica. São Paulo também tem muito a nos repassar", disse Grochocki.

SIMULADOR – Na Polícia Civil, o delegado-geral do Paraná, Silvio Jacob Rockembach, apresentou o simulador de tiros móvel, instalado em um caminhão – o primeiro e único deste tipo no Brasil. A tecnologia é aplicada na capacitação e atuação da Polícia Civil do Paraná, podendo ser utilizada para formação e reciclagem dos policiais.

O simulador conta com dispositivo para dois atiradores simultâneos, um mecanismo para ar comprimido com capacidade para 20 disparos, dois estandes de tiro fixo e 20 cenários que simulam situações reais de confronto armado. Para Rockembach, a apresentação deu a oportunidade de aproximar ideias e também ambientalizar com uma das tecnologias de capacitação e atuação da Polícia Civil do Paraná, que pode ser utilizada desde a formação até a reciclagem.

"A visita dos coordenadores do Centro de Operações Integradas (COI) foi muito importante, pois serviu de balizamento para todas as nossas forças de segurança. Então, sem dúvidas, apresentando o cenário da seguraça pública do Paraná possibilita ainda mais fôlego no nosso diálogo para prosseguir e termos bons resultados com essa troca de experiência para todo o Estado", esclareceu.

PRUMOS – A comitiva de São Paulo também esteve no Centro de Atendimento Psicossocial do programa Prumos, que tem por objetivo dar suporte à saúde mental aos integrantes das forças da segurança pública do Paraná e seus familiares. O programa, que atende todo o Estado, é desenvolvido pela Assessoria de Planejamento Estratégico e Gestão de Projetos da Secretaria da Segurança Pública do Paraná.

"É sempre muito bacana e produtivo conversar com os outros estados sobre como eles estão desenvolvendo um programa de saúde mental", disse o gestor do Centro Psicossocial, Eduardo Rodrigues Cabrera. "Estabelecemos comparativos para saber no que podemos melhorar, qual ideia aproveitar".

ESTRATÉGICO – Na reunião na sede da Secretaria o coordenador do COI falou sobre o planejamento estratégico utilizado em São Paulo, que tem como desafio reduzir a criminalidade e passar a percepção de segurança para a população. "O planejamento estratégico nos possibilita preparar as instituições para o futuro. A oportunidade de vir ao Paraná enriquece muito esse trabalho. Verificamos que as realidades são próximas e que as ideias, às vezes, são complementares", disse.

No encontro, o comandante do 1º Comando Regional (1º CRPM), coronel Wagner Lucio dos Santos, apresentou a estrutura da Polícia Militar do Paraná, e as operações policiais que têm trazido resultados positivos para a melhoria nos índices da segurança pública no Estado.

PRESENÇAS – Participaram da reunião na sede da Secretaria o diretor-geral da Secretaria da pasta, João Alfredo Zampieri; o subcomandante-geral da PM, coronel Rui Noé Barroso Torres; o delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach; o comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, coronel Gerson Gross; o diretor-geral do Depen, Francisco Alberto Caricati; o diretor-geral da Polícia Científica, Luiz Rodrigo Grochocki; o coordenador do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública da Região Sul (CIISP-Sul), coronel Luiz Augusto de Oliveira Santiago; o coordenador do Departamento de Inteligência do Paraná, delegado Silvanei de Almeida; e o chefe de Tecnologia da Informação e Comunicações, Major João Batista Tsuruda Amaral.

Comunicar erro
magalu 2

Comentários

magalu 3