Manifestante é baleado com armamento letal em ato em Brasília

Por Redação /Marcos Mauricio 24/05/2017 - 23:31 hs
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

Policiais militares do Distrito Federal utilizaram armas com munição letal contra manifestantes durante protesto contra o governo de Michel Temer (PMDB) e pela convocação de eleições diretas, nesta quarta-feira (24).

A Folha flagrou o uso de armas letais por policiais que não faziam parte do batalhão da tropa de choque, na Esplanada dos Ministérios, no meio da multidão.

A Secretaria de Segurança Público do Distrito Federal confirmou que um manifestante foi baleado e passava por cirurgia no Hospital de Base de Brasília. Segundo a pasta, ele não corre risco de morrer.

"A Polícia Militar abrirá inquérito para investigar policiais militares que aparecem em imagens com arma de fogo nas mãos. Esse procedimento não é adotado em manifestações. Os incidentes e as responsabilidades serão apuradas", afirmou a secretaria do governo Rodrigo Rollemberg (PSB).

Um vídeo divulgado pelo jornal "O Globo" mostra ao menos dois policiais atirando com armas de fogo na direção dos manifestantes, próximo ao Ministério da Agricultura, que foi incendiado.

A reportagem da Folha estava próxima ao local e ouviu manifestantes gritando que PMs estavam atirando e que havia "bala perdida". O caso aconteceu por volta das 16h, quando a confusão, que lembrava uma praça de guerra, já se estendia por cerca de três horas.

Segundo balanço parcial da SSP, houve 49 atendimentos de urgência durante a manifestação, entre feridos e pessoas que passaram mal por causa do uso de gás lacrimogêneo e spray de pimenta.

Dentre estes, oito foram de policiais feridos, segundo informou a secretaria –um dos PMs teve a perna quebrada.

Jornalistas também foram atingidos na confusão. Repórter da Folha foi atingida por uma bomba de gás lacrimogêneo na perna e um fotógrafo foi atingido por bala de borracha na perna e estilhaço de bomba no rosto, que estava protegido pela máscara de gás. Nenhum se feriu com gravidade.

O sindicato dos jornalistas do DF divulgou nota criticando a ação da PM, em que cita ao menos quatro jornalistas agredidos por policiais ou feridos no ato.

Bombas foram disparadas inclusive próximo ao local onde bombeiros socorriam feridos, próximo ao Ministério da Defesa.

No Hospital de Base de Brasília, ao menos quatro pessoas deram entrada com ferimentos graves. Dois homens foram feridos no olho por tiros de balas de borracha.

Um dos feridos no olho, de 35 anos, é do MST, e o outro, de 18, é estudante de São João Del Rey (MG).

Um outro rapaz, estudante de Santa Catarina sem idade confirmada, teve a mão parcialmente decepada por causa de um rojão. Ainda não há informação sobre a identidade do homem baleado.

Todos os feridos vindos da manifestação que deram entrada no hospital foram obrigados a registrar ocorrência policial, fato incomum no serviço público.

 

 

Folha de S.Paulo.