magalu
uol

Polícia Federal marca para segunda-feira depoimentos de Ramagem e mais dois delegados

Eles prestar√£o depoimento em inquérito aberto pelo Supremo para apurar suposta interferência política do presidente Jair Bolsonaro na PF, segundo denunciou [...]

Por Redação em 08/05/2020 às 17:51:23
Eles prestar√£o depoimento em inquérito aberto pelo Supremo para apurar suposta interferência política do presidente Jair Bolsonaro na PF, segundo denunciou o ex-ministro Sergio Moro. A Polícia Federal programou para segunda-feira (11), na sede do órg√£o, em Brasília o depoimento do delegado Alexandre Ramagem. Ele ser√° ouvido no inquérito que apura suposta tentativa de interferência do presidente Jair Bolsonaro em investiga√ß√Ķes da Polícia Federal, acusa√ß√£o feita pelo ex-ministro Sérgio Moro.

O depoimento ser√° colhido às 15h por um delegado do Servi√ßo de Inquéritos Especiais (Sinq), grupo da PF respons√°vel por inquéritos em curso no Supremo Tribunal Federal. Outros dois delegados devem ser ouvidos na segunda: o ex-diretor-geral, Mauricio Valeixo, às 10h, em Curitiba; e o ex-superintendente da Polícia Federal no Rio, Ricardo Saadi, às 15h, em Brasília. A PF come√ßou na tarde desta sexta a informar os advogados sobre a data.

O objetivo do depoimento de Ramagem é esclarecer os la√ßos dele com a família Bolsonaro e as circunst√Ęncias da indica√ß√£o para comandar a Polícia Federal.

O ex-diretor-geral Mauricio Valeixo ser√° ouvido por ter sido demitido por Bolsonaro, que indicou Ramagem para substituí-lo, mas n√£o conseguiu emplacar a nomea√ß√£o, barrada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, ao analisar uma a√ß√£o movida pelo PDT.

O ex-superintendente da PF no Rio de Janeiro Ricardo Saadi deixou o posto após críticas de Bolsonaro à atua√ß√£o dele, contestadas em nota oficial pela Polícia Federal.

Governo pede que Moraes, do STF, reconsidere suspensão de nomeação de Ramagem para PF

Nesta sexta, a Advocacia-Geral da Uni√£o (AGU) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que reconsidere a decis√£o liminar (provisória) que suspendeu a nomea√ß√£o de Alexandre Ramagem para ocupar o cargo de diretor-geral da Polícia Federal.

O governo pediu que a Corte libere a valida√ß√£o do ato de nomea√ß√£o de Ramagem, amigo da família do presidente Jair Bolsonaro.

Depois da suspens√£o de Ramagem, Bolsonaro nomeou o delegado Rolando Alexandre de Souza para o comando da Polícia Federal. Souza era subordinado de Ramagem na Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Rolando de Souza esteve no Pal√°cio do Planalto nesta sexta-feira para participar de reuni√£o com o presidente e com o ministro da Justi√ßa, André Mendon√ßa.

A assessoria da PF informou que eles trataram dos tr√Ęmites para nomea√ß√Ķes de superintendentes regionais do órg√£o.

Fonte: G1

magalu 2

Coment√°rios

magalu 3